Ortodontia é uma especialidade da medicina dentária que tem como objectivo corrigir a posição dos dentes e dos maxilares quando posicionados de forma inadequada.

Dentes mal posicionados ou que não se articulam corretamente com os antagonistas, apresentam mais dificuldades na preservação da higiene oral, podendo ser perdidos precocemente, por cárie ou doença periodontal.

Uma oclusão dentária deficiente provoca stress adicional aos músculos da mastigação e à articulação entre os maxilares e o crânio podendo provocar dores de cabeça, síndrome da ATM e desconforto na região do pescoço, ombros e das costas.

 

RELAÇÃO ORTODONTIA / ESTÉTICA DENTÁRIA E FACIAL

O mau posicionamento dentário também origina problemas estéticos. Uma das funções da ortodontia é a recuperação da estética dentária e do sorriso pelo correcto posicionamento dos dentes, assim como, em determinadas situações, o reposicionamento da estrutura óssea para correção do perfil e face.

 

VANTAGENS DO TRATAMENTO ORTODÔNTICO

O tratamento ortodôntico contribui para uma boca mais saudável, proporcionando uma aparência mais agradável com dentes mais funcionais e com prognóstico mais favorável.

 

ORTODONTISTA

O médico dentista que se dedica a esta área é designado por ortodontista. Existem ortodontistas que se dedicam exclusivamente a esta área e outros que apesar de formação especializada nesta disciplina continuam a dedicar-se a outras áreas da medicina dentária.

 

SERÁ QUE NECESSITO DE ORTODONTIA?

Nem sempre as pessoas que necessitam de tratamento ortodôntico apresentam problemas estéticos com os dentes anteriores em posição incorrecta. Em determinadas situações a correcção dentária visa a recuperação funcional da articulação de forma a estabilizar e a normalizar os contactos entre dentes, evitando o desgaste precoce destes e da ATM (articulação temporomandibular).

Só o médico dentista ou ortodontista podem determinar se está indicado um tratamento ortodôntico. Com base em alguns instrumentos de diagnóstico que incluem um historial médico e dentário, um exame clínico, moldes e posteriormente modelos dos dentes, fotografias e radiografias específicas.

Posteriormente os modelos dos dentes são montados num articulador que simula a posição destes na boca, imitando a sua articulação de forma a facilitar o estudo funcional. Sobre as radiografias é feito um estudo manual ou recorrendo a software específico para ortodontia, de forma a tornar o plano de tratamento e a previsão do resultado final mais fidedignos.

Se o ortodontista ou dentista concluir que o paciente necessita de ortodontia, apresenta um plano de tratamento adequado, especificando que tipo de aparelho está indicado, qual o objectivo final, o tempo de tratamento assim como os honorários envolvidos e forma de pagamento destes, uma vez que habitualmente este tipo de tratamentos se prolonga por um período de tempo variável.

 

ALGUMAS DAS SITUAÇÕES QUE PODEM SER INDICAÇÃO PARA TRATAMENTO DE ORTODONTIA

  • Sobremordida
    Esta situação é caracterizada por um excesso vertical da região anterior do maxilar e/ou uma sobre-erupção (os dentes estão mais fora do osso maxilar do que o normal) dos dentes dessa região.

  • Mordida cruzada anterior
    Dizemos que existe ma mordida cruzada quando a relação espacial dos dentes se encontra trocada. Assim no caso de mordida cruzada anterior os dentes inferiores recobrem os dentes superiores (estão por fora dos superiores), quando a situação normal é a sobreposição dos dentes superiores sobre os inferiores.

    Frequentemente o problema está relacionado também com a posição óssea, a arcada inferior está projetada para a frente ou a arcada superior está posicionada demasiadamente atrás.

  • Mordida cruzada lateral
    Ocorre quando a arcada superior nos sectores laterais não está por fora da arcada inferior ao fechar a boca normalmente.

  • Mordida aberta
    Espaço entre as superfícies dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam.

  • Desvio de linha mediana
    Ocorre quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.

  • Diastema
    Espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes ou dentes que não preenchem a boca.

  • Apinhamento
    Ocorre quando os dentes estão sobrepostos ou demasiadamente juntos na arcada dentária. Na maior parte das vezes devido a uma relação desproporcional entre o tamanho e/ou numero, dos dentes e tamanho das arcadas ósseas.

 

QUE TIPO DE APARELHOS ORTODÔNTICOS EXISTEM?

Existem diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como removíveis. Têm como objectivo util ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular.

Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. Cada situação dependendo do problema irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.

Aparelhos fixos podem ser:

  • Aparelho fixo
    Hoje em dia este é o tipo de aparelho mais comum.
    É constituído por bandas, arcos e braquetes. As bandas são fixadas em torno dos dentes posteriores e servem de ancoragem, suporte para estabilização das forças para movimentação das restantes peças dentárias.
    Os braquetes são colados na parte externa dos dentes. Os fios em forma de arco passam através dos braquetes e são ligados às bandas. Apertando-se o arco, os dentes são tracionados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta.
    Os aparelhos fixos habitualmente são controlados uma vez mês para se substituir os arcos ou elásticos .

  • Aparelho fixo funcional
    Utilizados para impedir hábitos parafuncionais, ou para direcionar as forças musculares para que os dentes se possam posicionar correctamente.
  • Mantenedor de espaço fixo
    Se o dente de leite é perdido precocemente, um protetor de espaço é utilizado para manter este espaço aberto até que o dente permanente nasça. Por exemplo, uma banda é cimentada ao dente próximo ao espaço vazio e um fio é estendido até o dente do outro lado do espaço.

 

Aparelhos removíveis incluem:

  • Alinhadores transparentes (ORTODONTIA INVISÍVEL)
    Uma alternativa para os aparelhos convencionais para adultos, alinhadores são utilizados para mover os dentes da mesma forma que os aparelhos fixos, mas sem os fios de aço e os braquetes. Os alinhadores são virtualmente invisíveis e removíveis para que o utilizador possa alimentar-se, escovar os dentes e passar o fio dental.
    Exemplos:
    F22
    Invisalign
  • Mantenedores de espaço removíveis
    Estes aparelhos têm a mesma função que os mantenedores fixos. São feitos com uma base acrílica que se encaixa nos dentes com arames.
  • Aparelhos reposicionadores de mandíbula
    São utilizados para disfunções da articulação temporomandibular (ATM). Têm como função estimular o posicionamento do maxilar inferior na posição mais correcta.
  • Amortecedores de lábios e bochechas
    Têm como objectivo manter os lábios e bochechas afastadas dos dentes. Os músculos dos lábios e bochechas podem exercer pressão sobre os dentes e os amortecedores ajudam a aliviar esta pressão.
  • Expansor palatino
    Um mecanismo utilizado para alargar o arco da mandíbula superior. Consiste num dispositivo que se encaixa sobre o palato. A pressão externa aplicada sobre a base por meio de parafusos força os ossos do palato alargando a área palatina.
  • Aparelhos de contenção removíveis
    Estes aparelhos de contenção previnem que os dentes voltem à posição anterior após correcção. Podem também ser modificados e utilizados para evitar que a criança chupe o dedo.
  • Aparelho extraoral
    Este aparelho tem uma faixa que é colocada em volta da parte de trás da cabeça, e ligada a um elástico na frente, ou um arco facial. Este aparelho retarda o crescimento da maxila e mantém os dentes posteriores onde estão, enquanto os dentes anteriores são empurrados para trás.

 

ORTOPEDIA FUNCIONAL

Tem como objectivo influenciar o crescimento natural do complexo crânio-facial utilizando o aparelho como um tradutor das forças musculares contra os ossos basais e processo alveolar. O aparelho funcional actua como um normalizador das forças musculares até que a oclusão normal se possa restabelecer.

CORPO CLÍNICO

Dr. António Patrício
Dr. António PatrícioDiretor Clínico
Implantologia
Reabilitação Oral
Andreia Bispo
Andreia BispoAssistente Dentária